5 tendências para o e-commerce em 2017

O início de um novo ano serve como estímulo para colocar em prática os planos de iniciar um novo negócio. O mercado digital está cada vez mais em alta, mas, na hora de empreender, é fundamental escolher bem o setor em que se irá atuar, considerando não apenas a afinidade pessoal como o potencial de sucesso e crescimento.

Tendências para E-commerce

“Muitas vezes a pessoa quer montar uma operação de e-commerce, mas não tem nenhuma ideia de qual setor quer empreender, nem que tipo de produto quer vender. Nessa hora, sempre recomendo avaliar as tendências do mercado e apostar em produtos inovadores”, explica Bruno Oliveira, especialista em e-commerce e criador do Ecommerce na Prática.

O especialista indica cinco setores promissores para abrir um e-commerce nesse ano:

– Mercado pet:

É uma área em franca expansão no Brasil, e com muita margem para crescer ainda mais. Segundo dados do IBGE, 62% das residências tem pelo menos um cachorro ou gato, o que equivale a 40,4 milhões de casas. “Isso representa milhões de consumidores em potencial, e cada vez mais pessoas optam por comprar produtos para seus pets em lojas virtuais, devido à praticidade e ao preço mais em conta. Uma das vantagens do e-commerce é que é possível iniciar sem uma grande variedade de produtos, com estoque reduzido, e ampliar conforme a demanda”, diz.​

– Alimentos saudáveis

Esse setor, segundo Oliveira, também representa uma ótima oportunidade para quem quer abrir uma loja virtual. Hoje cuidar da saúde e procurar alternativas para manter uma alimentação mais equilibrada é tendência no Brasil e no mundo todo. “A concorrência nessa área é grande, mas ainda é possível inovar e buscar nichos. Uma boa alternativa para loja virtual nessa área é comercializar cardápios completo e personalizados de acordo com as necessidades de cada cliente. Por exemplo, alimentos sem glúten, sem lactose, low carb, pratos vegetarianos”.

– Casa e Decoração

O segmento aparece em 5º lugar no ranking dos que mais faturam no e-commerce, e segundo o especialista, deve continuar em alta em 2017. “Esse é um dos mercados com mais potencial de crescimento no Brasil, por isso vale a pena considerar. Se forem originais e criativos, os produtos desse setor costumam vender bem”, explica. Segundo ele, produtos artesanais e exclusivos de decoração podem ser uma boa alternativa. “Mas, como em todos os setores, é preciso ter experiência na produção desses itens, ou investir em equipamentos e funcionários”.

– Autopeças

De acordo com estudo da Ebit, no primeiro semestre de 2016, o mercado de peças automotivas pela internet cresceu 75% em relação ao mesmo período de 2015. “Esse dado indica que vale muito a pena apostar nesse setor.  A alta demanda e o baixo custo inicial estão entre as principais vantagens”, comenta. No entanto, Oliveira alerta que é preciso ter conhecimento técnico sobre os produtos.  “Dificilmente a loja virtual conseguirá ser competitiva no mercado caso o responsável não tenha amplo conhecimento sobre automóveis e autopeças”, explica.

– Livros/Assinaturas/Apostilas

“Nem todo mundo sabe, mas o comércio eletrônico no Brasil e no mundo surgiu através da venda de livros pela internet e, até os primeiros anos, essa categoria liderava com folga. Hoje conta com cerca de 4% do faturamento no e-commerce”, comenta Oliveira.

Segundo ele, ainda é possível encontrar nichos de mercado e empreender com sucesso nesse setor. “Lojas especializadas em livros de direito ou livros de medicina, um clube do livro para universitários podem ser boas apostas. A venda de e-books (livros digitais) também deve crescer muito no Brasil nos próximos anos”, avalia.

No entanto, é importante destacar que ficar atento às tendências e segmentos não basta para abrir uma loja virtual. Para o especialista, é necessário ter também um plano de negócios estabelecido, missão, visão e valores definidos e saber quem é o cliente que se precisa alcançar. “Com um planejamento estratégico bem definido, o empreendedor terá muito mais chances de obter sucesso com sua empresa, evitando alguns obstáculos”, explica.

Fonte: E-commerce News

Share